01_Assinatura-01_SITE.jpg
C
otidiano

Pandemia

Estado tem dois casos confirmados de coronavírus

Governo publicou decreto que estabelece medidas de emergência para conter o avanço da doença

CLARICE GRAUPE DARONCO/JMV
Foto: ANDERSON COELHO - ND

TIMBÓ -Dois casos de coronavírus foram confirmados ontem, dia 12 de março, em Santa Catarina pela Secretaria de Estado da Saúde, sendo os dois em Florianópolis. Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde os pacientes, um homem de 34 anos e uma mulher de 28 anos, ainda não constam dos dados oficiais do Ministério da Saúde. Ainda há mais de 60 casos suspeitos em monitoramento no estado.

A mulher é brasileira e mora na Holanda, sendo atendida no posto de Saúde do bairro Córrego Grande. Já o homem mora em Florianópolis e esteve em Nova Iorque, nos Estados Unidos, há cerca de 14 dias. Ele recebeu atendimento no Hospital Baía Sul.

Os pacientes estão sendo monitorados e não precisaram ser internados, recebendo tratamento em casa. A Secretaria informou que vai fazer contato com as pessoas que convivem com os dois para coletar as amostras e fazer os testes para Covid-19.

Conforme o secretário, apesar da confirmação dos dois casos, ainda não há a necessidade de restrição de circulação de pessoas no estado, sendo que a população deve tomar os cuidados básicos de prevenção.

Os testes no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) começaram a ser feitos ontem e demoram entre 24 horas e 48 horas para ficarem prontos.


Ações no Estado

Na manhã de ontem, o Governo do Estado instalou o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) para enfrentamento do coronavírusno Estado. O grupo de trabalho que ficará sediado no Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd), na Defesa Civil, em Florianópolis tem o objetivo de monitorar a evolução dos casos suspeitos no Estado e preparar a rede estadual para atender possíveis pacientes.

O governador Carlos Moisés também editou decreto que estabelece medidas de emergência para conter o avanço da doença. O decreto publicado ontem, no Diário Oficial do Estado institui uma série de medidas na administração pública e prevê desde a possibilidade de isolamento e quarentena de pacientes até a contratação emergencial de bens e serviços, conforme a evolução do coronavírus no Estado.


OMS declara coronavírus como pandemia

Com a declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) do coronavírus como pandemia, muitas ações estão sendo tomadas, tanto em âmbito federal como estadual.

De acordo com a OMS, até ontem, dia 12 de março, o novo coronavírus já atingiu mais de 124 mil pessoas em todo o mundo e deixou mais de 4,6 mil mortos - a maioria na China, Itália e Irã, países com a maior incidência do vírus. Em nota a OMS declarou que: "esta não é somente uma crise de saúde pública, mas uma crise que vai afetar todos os setores, e todos eles precisam estar envolvidos na luta contra o vírus".

No Brasil, o Ministério da Saúde divulgou ao meio-dia de ontem, dia 12, uma atualização do seu boletim sobre pacientes infectados com o novo coronavírus (Sars-Cov-2), agente causador da doença Covid-19. O número subiu de 52 para 60. Os novos registros são do Paraná (seis casos) e no Rio Grande do Sul (mais dois pacientes), os de Santa Catarina não estavam nos dados do Ministério ainda. Atualmente são monitorados 930 casos suspeitos e 947 foram descartados. Do total de casos confirmados, nove (15%) são por transmissão local, quando é possível relacionar o doente a um caso confirmado; e 51 (85%) dos casos são importados, ou seja, de pessoas que viajaram ao exterior.


Mudança com declaração de pandemia

O Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, acredita que o Brasil deve viver semanas "duras" devido à transmissão comunitária do coronavírus. Em entrevista ao Estadão, no dia 11, Mandetta afirmou que reuniu sua equipe no último fim de semana para mapear hospitais e a capacidade de atendimento em todo o país.A equipe do ministério avalia montar hospitais de campanha, de acordo com o jornal Estado de São Paulo.

De acordo com a Agência Senado, Mandetta anunciou que a Agência Nacional de Saúde vai obrigar hospitais privados e planos de saúde a atenderem os pacientes e a lidarem com tudo o que diz respeito ao coronavírus.

Outra medida é repetir a compra de equipamentos já feita pelo governo. Outra análise realizada foi a capacidade do Sistema Único de Saúde e o momento em que ele deve atingir seu limite de atendimento.

O ministério ainda não recomenda o cancelamento de grandes eventos, manifestações e restrições a cinema e metrôs, o que acredita que seria "irresponsabilidade" fazer isso agora. Em relação às instituições de ensino, o ministério da Saúde já pediu a Abraham Weintraub, ministro da Educação, que seja feita uma análise dos planos de aulas.


Sinais e sintomas

Casos mais leves de infecção por coronavírus podem parecer como gripe ou resfriado comum, dificultando o diagnóstico. Sinais comuns de infecção incluem sintomas respiratórios, febre, tosse e dificuldade respiratória. Em casos mais severos a infecção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave e até óbito.


Prevenção

Ainda não há vacina ou medicação eficaz no combate à doença e, por isso, é importante reforçar medidas de prevenção:

* Evite aglomerações e ambientes fechados;

* Evitar contato próximo com pessoas doentes;

* Ficar em casa quando estiver doente;

* Não toque os olhos, nariz e boca sem antes higienizar as mãos;

* Higienize as mãos com água e sabonete líquido ou álcool gel, principalmente após tossir, espirrar ou assoar o nariz;

* Use lenço descartável para assoar o nariz. Ao tossir ou espirar apoie no cotovelo, nunca nas mãos;

* Não compartilhe copos, talheres e objetos pessoais;

* Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;

*Algumas infecções respiratórias podem ser prevenidas. Verifique sua carteira de vacinação ou vá até uma Unidade de Saúde.






14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855