C
otidiano

Força-tarefa de vacinação

11 Julho 2019 16:34:00

Unidades de Saúde estendem atendimento da sala de vacinação para que a comunidade se imunize contra a febre amarela

Amanda Bittencourt

INDAIAL- As Unidades de Saúde de alguns bairros de Indaial estão ampliando o horário da sala de vacinação, isso porque a primeira morte de macaco por febre amarela no município foi confirmada pela Diretoria da Vigilância Epidemiológica Estadual (Dive) no fim da semana passada. O primata havia sido localizado no bairro do Sol no dia 31 de maio.

No estado, foram confirmadas outras duas morte de animais por febre amarela, nas cidades de Garuva e Joinville.

A ocorrência de animais doentes ou mortos, especialmente macacos, indica que a doença pode estar presente e que há risco das pessoas também adquirirem a febre amarela. Vale esclarecer que os macacos não transmitem a febre amarela para o homem, na verdade eles são os primeiros a adoecer, por isso alertam os órgãos de Saúde do perigo.

Em humanos, uma morte foi confirmada em Santa Catarina, no dia 28 de março de 2019, pela Dive. O paciente era um homem, de 36 anos, que não se vacinou. Ele morava em Joinville. O caso foi autóctone (contraída dentro do estado).

A partir disso, a Vigilância Epidemiológica de Indaial passou a intensificar a força-tarefa que já havia começado na sexta-feira, dia 5, na região do bairro do Sol, devido ao aumento da incidência de primatas mortos na localidade. Só neste ano, sete ocorrências foram registradas neste bairro e 14 em todo o município.

Desde ontem, dia 10, as unidades Estrada das Areias, Rio Morto, Carijós e Centro (Heinz Schutz) estenderam o horário de vacinação além do habitual, de segunda a sexta-feira. Haverá portanto distribuição de senhas das 17h às 19h30min. A medida será realizada até o dia 25 de julho. Excepcionalmente nas quartas-feiras, no horário das 15 às 17h, as unidades estão fechadas para reunião das equipes.

Lembrando que todos os munícipes podem se vacinar é preciso apresentar na Unidade de Saúde a carteira de vacinação, carteira do Sistema Único de Saúde (SUS) e documento oficial.

"A vacina é a forma mais eficaz para evitar a doença. Ela é gratuita e está disponível em nossas unidades", enfatiza a enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Sabrina de Vargas Souza.


Força-tarefa emergencial

A mobilização emergencial de vacinação teve início na sexta-feira e prosseguiu até no domingo, dia 7, onde equipes passaram pelas residências dos morados do bairro do Sol, abrangendo as ruas: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Luís Moser, Bertoldo Trapp, Pioneiros, Bahia, Santa Catarina, Otto Stange, Rondônia, Renato Ferreira de Mello e João Maria de Araújo, Baden Powel, Goiás, Mato Grasso Sul, Flórida, Amazonas, Ricardo Geisser, Ricardo Powel e Maranhão.

 Sabrina diz que em média foram vacinados, somando os três dias, 70 pessoas. "Identificamos muitos idosos sem vacina. Na segunda-feira estivemos também estivemos vacinando 30 pessoas da Unidade Prisional", acrescenta. A coordenadora ainda ressalta que os moradores que não encontravam-se em casa nos dias da realização da força-tarefa, devem procurar a unidade mais próxima para se imunizar.


Vacinação

Podem ser vacinados os munícipes com idade entre 9 meses e 59 anos. Usuários com mais de 60 anos e com doenças autoimunes devem ter autorização médica. Eles precisarão passar por consulta médica nas unidades de Saúde. Para gestantes está contraindicado receber a vacina.

De acordo com a Dive, uma única dose é sufi ciente para proteger por toda a vida. No estado, até o momento, a cobertura vacinal está em 74%. O ideal é vacinar, ao menos, 95% da população dentro do público-alvo.

Em Indaial, ainda não há números atualizados de doses aplicadas em toda a população. No momento, os números estão sendo contabilizados, conforme informou a Vigilância Epidemiológica.


Febre amarela

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. Em áreas de mata, a febre amarela é transmitida especialmente pelo mosquito Haemagogus. Já na área urbana, o Aedes aegypti, também mosquito transmissor da dengue, pode ser o vetor. Logo, a necessidade de evitar a proliferação do Aedes.

Os sintomas iniciais incluem: início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.




14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855