C
otidiano

Prefeito apresenta dados do HBR

21 Março 2019 14:26:00

Moser afirma que déficit financeiro da entidade gira em torno de R$ 17 milhões

Amanda Bittencourt

INDAIAL - O prefeito André Moser convocou na terça-feira, dia 19, uma reunião com a imprensa a fim de apresentar dados referentes ao Hospital Beatriz Ramos (HBR) resultantes de um diagnóstico realizado pela Prefeitura. Essa explanação aconteceu um dia depois da intervenção da unidade hospitalar, feita por meio do Decreto nº 967 assinado por Moser, no dia 18.

Segundo dados apresentados, vem sendo investido quase 25% do orçamento do município na Saúde, 10% a mais em relação ao que manda a Constituição (15%). Dessa porcentagem, que compreende os investimentos na Saúde do município em um contexto geral, inclui-se os valores repassados ao HBR, o qual recebe quase 50% desse total.

Em dois anos da atual administração foram mais de R$ 20 milhões investidos no HBR, com recursos próprios do município, mais o que veio União, investidos pela comunidade e do Governo do Estado. "Principalmente com recursos próprios, é um investimento considerado. Se olharmos para o contexto histórico, em 2017, nós tivemos um investimento mensal per capita, por pessoa, de quase R$ 400,00 na Saúde", enfatiza Moser.

Outro dado importante, e que chama a atenção, é a porcentagem de pessoas que são internadas no Hospital e que vem a óbito. A partir de 2016, houve um aumento considerável, chegando a 4,15% no ano de 2017, índice considerado alto. Sobre as internações, apenas 34,4% dos leitos vem sendo ocupados no HBR, que de acordo com Moser, é uma grande estrutura que não é utilizada.

Em 2012, as receitas referentes a internações e procedimentos hospitalares giravam em torno de R$ 1.806.000,00. Já em 2018, os números caíram para R$ 924.000,00 de receita. "Aqui vemos como o Hospital chegou no déficit financeiro que chegou. Hoje a dívida ultrapassa os R$ 17.000.000,00", diz Moser.

Outro item citado foi a "fuga" de serviços da unidade hospitalar por parte dos médicos, que começaram a não realizar procedimentos aqui, o que também foi um dos fatores que deixou as contas no vermelho.

De acordo com Moser, um hospital necessita ter algumas prerrogativas para que consiga algumas habilitações tanto da Secretaria de Estado da Saúde, como no Ministério da Saúde, a unidade hospitalar precisa ser referenciada em uma área. "Hoje atendemos tudo e não somos referenciados em nada. Assim não estamos no mapa de referência de Santa Catarina, e isso dificulta pois os técnicos do Ministério da Saúde enxergam nosso Hospital através de números, e não conhecem a realidade. Esse é mais um desafio da nova administração do HBR, de buscar o referenciamento, seja em traumatologia, pediatria. Só assim iremos conseguir habilitar algumas portarias para obtenção de recursos", explica o prefeito.


Decreto de intervenção

De acordo com o texto do Decreto a intervenção visa evitar que os atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) venham a ser paralisados, devido ao alto grau de endividamento da unidade de Saúde.

Além disso, a questão do leilão foi outro motivo que levou a Administração Municipal a realizar a intervenção e também pelos resultados obtidos por meio do diagnóstico contratado para a Prefeitura, onde foi constatado que o déficit é superior aos números que eram anunciados anteriormente.

Agora, a gerência do Hospital será por meio da interventora, Adriane Machado Ferrari, atual secretária de Saúde, que tomará as decisões inerentes à administração da unidade hospitalar. A intervenção vigorará em até 180 dias, podendo ser prorrogada por períodos sucessivos de acordo com a necessidade. Moser acredita que essa prorrogação deverá ser feita. "A estimativa é que em um ano consigamos colocar a casa em ordem e estancar o déficit financeiro mensal e buscar alternativas para que o Hospital possa lucrar e que possamos posteriormente estar investindo nele".

A nova interventora, Adriane Ferrari, enfatiza que sua função será a de evitar a paralisação da prestação de serviços de Saúde aos usuários do SUS e de adotar todas as providências necessárias no sentido de regularizar a situação financeira da entidade, além de melhorar a qualidade dos serviços prestados à população.

Neste período o secretário de Administração e Finanças, Silvio César da Silva, acumulará interinamente a pasta municipal de Saúde. "Nesse momento de transição, eu e a Adriane iremos trabalhar juntos, vou ficar dando o suporte ao HBR especificamente na questão financeira, negociação com fornecedores, médicos e toda essa questão. Da mesma forma, ela dará suporte na parte técnica, para a Secretaria de Saúde, para que possamos fazer nesse período a melhor gestão tanto no Hospital, como na pasta da Saúde", finaliza Silva.

 No exercício de suas atribuições, caberá à interventora do HBR, a prática de todo e qualquer ato inerente à administração do Hospital garantindo que haverá o envio de relatório informando as medidas adotadas bem como demonstrativo simplificado da situação financeira do Hospital ao prefeito, à 2ª Promotoria de Justiça de Indaial, à Câmara de Vereadores e ao Observatório Social de Indaial, a cada 60 dias.

O prefeito também afirmou que a atual diretoria do HBR será afastada. "O primeiro passo da interventora será contratar uma empresa de auditoria para o diagnóstico de todos os recursos e dívidas a fim de saber a real situação administrativa e financeira do Hospital", adianta Moser.


Adriane Machado Ferrari, André Moser e Silvio César da Silva





14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855