01_Assinatura-01_SITE.jpg
E
special

Alimentos tratados com carinho

Com produção orgânica e familiar, o Sítio da Ledy não utiliza nenhum tipo de agrotóxico nos seus cultivos e é referência na região

Amanda Bittencourt

INDAIAL - Se fala tanto em alimentação saudável, sem uso de agrotóxicos para o cultivo de frutas, verduras e hortaliças. Mas será que existem locais onde isso é realmente praticado? Pois como bem sabemos, a produção desses alimentos em grandes fazendas, a prioridade é a quantidade e não qualidade, e por isso o uso de "venenos" na agricultura é muito usado para evitar pragas e também para não ocorrerem perdas na produtividade. Enquanto isso, a nossa saúde vai ficando comprometida aos poucos.

Em Indaial, um lugarzinho rodeado de verde, que contempla 12 hectares, localizado a mais de 325 metros acima do nível do mar, mora um casal, Adalberto e Eledenir Lorenz,que há 20 anos vem prezando pela qualidade do alimento e bem-estar de seus clientes. O Sítio da Ledy, como é chamado, trabalha apenas com a agricultura orgânica, não permitindo o uso de nenhum produto químico ou sintético que possa vir a prejudicar a saúde humana e o meio ambiente. A propriedade é considerada única na região, com atividade agroecológica de circuito fechado, onde, segundo seu Lorenz - "Nada se perde, tudo se transforma".

Os sistemas de produção obedecem os ciclos naturais de crescimento das plantas e dos animais. Além disso, a inutilização do agrotóxico preserva a qualidade da água usada na irrigação, não polui o solo e nem o lençol freático.

O Sítio é autossustentável e produz: banana, goiaba, amora, acerola, framboeza, physalis, groselha do sertão, maná cubio, xinxin, laranja, tangerina, morango; e nas hortaliças cultivam: alface, brócolis, couve-fl or, couve folha, alho poró, cenoura, beterraba, milho, rúcula, salsa, cebolinha, repolho, vagem, taiás, aipim, etc. Ainda há muitos animais por lá: porcos, galinhas, galinhas da angola, perus, patos, marrecos, gansos e peixes.

Seu Lorenz e dona Eledenir também recebem visitantes de toda a região, como escolas, acadêmicos de gastronomia e turistas. Na ocasião, é apresentada toda a estrutura do sítio e é ministrada uma verdadeira aula sobre a vida no campo e a agricultura orgânica e familiar.

Ainda, o casal produz diversos produtos caseiros, como: geleias, musse, licor caseiro, queijo cozido (Kochkaese), geleia de porco, melado, açúcar mascavo, mel, biscoitos caseiros, defumados, queijos, conservas, compotas, pães, cucas, etc. Tudo isso pode ser encontrado na Feira Livre de Indaial, que acontece toda as sextas-feiras, das 11h às 19h30min, ao lado do Ginásio de Esportes Sérgio Luiz Petters.


Licores e geleias 

Dentre as principais produções, estão as geleias, preparadas pela Eledenir, conhecida como dona Ledy. Nossa redação teve o prazer de experimentar esses doces e podemos afi rmar que são uma delícia. São mais de 25 sabores diferentes, que incluem, morango, goiaba, jabuticaba, abacaxi, framboesa, amora preta, acerola, damasco e muito mais.

Ledy explica que as frutas todas produzidas no sítio, exceto o damasco, são congeladas para que tenham maior durabilidade e nas épocas de ausência de algumas, haja o estoque para fabricar a geleia.

No preparo, apenas água, açúcar cristal e fruta. Nenhum tipo de aromatizante ou conservante é usado. "Em casos em que a fruta não tenha acidez, é utilizado um pouquinho de limão, para que essa se conserve por mais tempo. Eu não uso conservante e nenhum produto químico, tudo é 100% natural. Outra diferença é que eu utilizo o açúcar cristal, porque quase todo mundo que faz geleia faz com o refinado, por ser mais barato e mais doce. Mas sabemos que o refinado não tem o tanto de vitaminas e sais minerais necessários", frisa Ledy.

Já o seu Lorenz que é responsável pela produção dos licores, conta que primeiro os licores surgiram como remédio, mas que tão bons passaram a ser servidos como aperitivos. Segundo ele, já produziu mais de 49 tipos diferentes, e sempre procura está a de novos sabores. "Os licores são todos feitos com ervas e frutas. Não temos limite para fazer, pois tudo pode dar licor, tendo aroma, nós conseguimos extrair o sabor e vamos testando", diz.

Adalberto ainda explica que muitas vezes o sabor do licor só aparece depois de um tempo de cura, que pode variar de meses ou até anos. "Todas as frutas tem o seu tempo para você extrair o aroma e é essencial para ter um licor natural, sem ter que adicionar nada para conseguir fazer com que ele seja bem saboroso".

Dentre os licores, cada um com sua função, se destaca o licor de ervas, feitos com coentro, erva doce e cravo da índia, bom para sistema digestivo, o de jabuticaba é estimulante também para o estomago e o de guaco, ótimo para a garganta.


Plantações

Quando questionado sobre o que é cultivado em cada período do ano, Lorenz comenta que eles tentam cultivar tudo durante todo o ano. "Tem algumas que não conseguimos em algumas épocas, pois o tempo é que manda na nossa horta. Recentemente plantamos couve-flor, mas acabamos perdendo em razão das chuvas desses últimos tempos, mas já e plantamos de novo".

Um diferencial da plantação de verduras do Sítio é o tipo de adubação orgânica. "Tudo é aqui da propriedade então nós não temos custo direto. Com o adubo orgânico, eu posso refazer um plantio em cima daquele solo, que a produtividade será a mesma. Se fosse o químico, teria que adubar tudo de novo", completa Lorenz.

Além disso, eles trabalham com pó de rocha basalto, fosfatada ou pó de brita, com restos de carvão, como uma maneira de preparo do solo para que ele tenha sustentabilidade. Adalberto nos mostrou suas plantações, e os locais onde a terra estava sendo preparada para receber o próximo plantio."Nós também fizemos muito a rotação de cultura, e isso faz com que o solo não se desgaste tanto", diz o produtor.


Imagens


14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855