E
special

Música

Arte traduzida em música

28 Setembro 2018 13:47:00

Desde os 11 anos, a música é a paixão do maestro Paulo Lira

Amanda Bittencourt

INDAIAL - "Durante o dia ou estou fazendo música, ou ensinando música, ou me preparando para ambos. Nasci para ser músico. A música é a minha vida". Com essa frase do maestro Paulo Lira, o protagonista da nossa reportagem,iniciamos contando um pouco sobre sua carreira. Atualmente ele é o coordenador do Projeto Sensibilizarte de Indaial, e rege a Orquestrada Câmara de Indaial e também coordena a Orquestra Tra-la-lá. Ele iniciou os estudos de música bem cedo, lá pelos seus 11 anos. "Meu pai sempre foi um músico amador e um grande incentivador do meu aprendizado de violino e regência.Tive minha primeira aula de violino aos 11 anos quando fui apresentado ao repertório da música barroca e tive certeza que faria da música meu sacerdócio", relata o maestro.

Também aos 11 anos, Lira recebeu um convite de seu primeiro professor para assistir ao ensaio de uma orquestra em sua igreja. Quando ele viu um maestro pela primeira vez, percebeu que gostaria de se tornar um. "Tive minha primeira experiência como maestro aos 15 anos. Fui muito feliz por ter sido incentivado para a arte da regência", destaca Lira.A música nada mais é do que a expressão de ideias e sentimentos vividos, que servem como inspiração para quem a ouve. Lira também nos conta o significado da música na vida dele. "Significa expressar-me de forma clara,pura e verdadeira com o mundo,com as pessoas e com o grande criador. Sou músico em tempo integral, 24 horas por dia. Vivo da música e para a música", expressa Lira.

O maestro que toca violino e viola de arco, conta que sua maior realização foi a criação, em 2001,do programa de musicalização nas comunidades por meio da Orquestra de Câmara de Indaial, que formou diversos jovens talentos que estão espalhados por todo o Brasil. Lira ainda acredita no poder da música como objeto de transformação social. "A música é um elemento transformador, uma forma de expressão poderosa, que permite a quem a ela se dedica expandir horizontes, refletir através de sua arte sobre tudo ao qual faz parte, nos deixa mais reflexivos e dessa forma as crianças e jovens podem contribuir para uma sociedade mais culta e intelectualmente ativa", ressalta.

Quando questionamos sobre o incentivo à música e à cultura na região, ele nos fala que ainda falta um pouco, mas que a situação pode sim se tornar positiva se os gestores públicos derem maior atenção à questão. "O maior bem de um povo é sua cultura, esse é o grande legado que deixamos para as gerações futuras e dentro disso a música tem um papel vital. Um povo sem cultura é como um barquinho em alto mar sem tripulação" finaliza. 


Trajetória

Paulo Lira, desde 1997, participava como violinista da Orquestra  de Câmara Municipal de Timbó  (OCMT) e em 2000, ingressou  na Orquestra da Fundação Universidade Regional de Blumenau (Furb), na qual fi cou por 16 anos. Já em 2004, formou-se em música também pela Furb. Implantou, em 2001, o Programa de Musicalização nas Comunidades de Indaial e em 2002 formou a Orquestra de Câmara de Indaial, na qual permanece como regente até o momento. 

Ainda, é professor de violino e viola na Fundação Indaialense de Cultura (FIC), Departamento de Cultura e na Academia de Cordas da OCMT. Recebeu diversos prêmios e certificados culturais da cidade de Indaial e é o compositor do hino do município de Ascurra. Em 2018, Paulo assume a coordenação do Programa de Musicalização nas Comunidades onde tem como objetivo reativar as atividades musicais da FIC nos bairros de Indaial e também está à frente dos trabalhos da Orquestra Tra-la-lá. 


14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855