E
special

Política

Futuros eleitores exigem mais ética dos políticos

09 Fevereiro 2018 08:00:00

Representantes do Parlamento Jovem de Indaial falam sobre o que esperam das eleições presidenciais

Foto: Câmara de Vereadores de Indaial

INDAIAL - No dia 7 de outubro deste ano, mais de 140 milhões de eleitores devem ir às urnas para escolher um novo presidente para o País. Além de decidir por si mesmos, estes eleitores precisarão definir o futuro de quem ainda não vota, mas já espera muito do futuro.

E se você acha que estes jovens não estão nem aí para a política, está enganado. Em Indaial, 22 deles inclusive já ocupam cadeiras no Legislativo municipal, mais precisamente no Parlamento Jovem. E mais enganado ainda está quem pensa que eles estão lá para brincadeira, pois é da cabeça destes jovens que já surgiram projetos de lei abraçados pela Câmara adulta como o Agosto Laranja (sugerido pela vereadora representante da Apae na época) e a proibição de consumo de bebidas alcoólicas em praças e ruas de Indaial.

Agora, às portas de uma nova eleição presidencial, a redação do Jornal O indaialense perguntou a eles o que esperam do novo pleito. "É um ano em que as pessoas se enchem de fé e esperança em um mundo melhor e, assim como elas, eu também. Espero que um dia todo ódio, corrupção e essa disputa pelo poder acabem e deem lugar à paz, amor e principalmente respeito por nós cidadãos brasileiros", declara Melina Heckmann, de 12 anos. Ela escolheu se candidatar ao Parlamento Jovem pela E.B.M Professora Ana Lúcia Hiendmayer como forma de colaborar com melhorias na escola, ouvindo também a opinião dos colegas.

Participar do Parlamento Jovem transformou a visão destes jovens sobre política, Maria Luiza Tanaka Cordeiro, de 13 anos, da E. B. M Tancredo de Almeida Neves diz que seu entendimento sobre o tema tornou-se algo positivo. "Pude compreender a importância da política nos dias de hoje. Minha perspectiva mudou, e eu desejaria que meus colegas também pudessem ter assistido as sessões". Maria quer que o próximo presidente do país seja sábio e competente para reger a nação.  

Uma maior consciência das ações tomadas pelos governantes também é o desejo de Sarah Lopes, de 14 anos, da E.B.M. Encano Baixo Rudolfo Alfarth. "Hoje percebo que a política e o povo têm que andar lado a lado, e que esses dois juntos são a única solução para melhorar nosso país".

A legisladora Karine Hermann, de 14 anos, do Colégio Municipal de Indaial cita quais as áreas em que espera transformações, segundo ela, são necessários mais investimentos em Saúde e Educação. "E que diminuam os impostos, pois boa parte deles vai para o uso pessoal ao invés de ser investido no país".  

O descontentamento com a situação política, lógico, afeta também a confiança destes jovens em algum candidato capaz de conduzir a nação. "Eu só gostaria que essa corrupção acabasse, pois hoje em dia escolher um lado na política é complicado, é difícil encontrar um candidato à presidência que seja confiável", lamenta Igor Gramkow, de 12 anos, aluno da E.B.M. Juvenal Carvalho. Isto, contudo, não afetou a vontade dele por aprender mais sobre as instituições e o papel que desempenham.

Ana Livia Simões Moro, de 12 anos, da E.E.B Raulino Horn, resolveu se candidatar por conta da vontade de ajudar a cidade e escolas com novas ideias. Dentre as experiências mais positivas para ela, está o exercício da cidadania durante as reuniões.  

O vereador João Vitor Campestrini, de 13 anos, da E.E.B Prefeito Germano Brandes Júnior é sucinto com as palavras, porém as utiliza de maneira a deixar bem claras suas ideias. "Política não é apenas corrupção e sim muito trabalho e dedicação", define. O desejo para o futuro do Brasil é ao mesmo tempo simples e complicado. "Um Brasil sem corrupção".

Heloize Gabriela Maiberg da Silva, de 14 anos, da E.B.M Prof Maria da Graça dos Santos Salai, foi mais uma das jovens a se surpreender com o que achava que sabia sobre política. "Não é como a sociedade diz, muitos falam mal da política e eu vi que é diferente. Me surpreendi em como há políticos que querem o melhor para nossa cidade, além das muitas coisas novas que aprendi". Para ela, o respeito é algo que precisa estar presente na ação dos próximos gestores eleitos. "Nosso país é maravilhoso só falta que exista colaboração, respeito e ajuda ao próximo".

Parlamento Jovem

A responsável por aprimorar o conhecimento destes jovens sobre política é a coordenadora Maria Helena Theiss. O Parlamento Jovem de Indaial tem servido de exemplo para diversas cidades vizinhas, que buscam no modelo indaialense um exemplo a ser seguido. Maria Helena explica que são 22 escolas aptas a participarem do projeto, uma delas é a Apae. Todo o processo de eleição dentro das unidades de ensino segue o modelo de um pleito tradicional, com campanha e votação eletrônica. Um verdadeiro ensaio para exercer a cidadania no futuro. Os alunos candidatos recebem ainda instruções sobre o papel de um vereador e a lisura inerente à função. "Conversamos com eles sobre compra de votos, promessas que não podem ser cumpridas, a forma como devem se comportar e assim por diante". Após eleitos, os jovens parlamentares passam ainda por três tardes de preparação, quando conhecem a função dos três poderes, a estrutura da Câmara e recebem instruções sobre oratória, etiqueta e muito mais. Maria Helena conta que já houve jovens vereadores que se candidataram em pleito, mas nenhum deles, até o momento, chegou a ser eleito. O projeto tem ainda o apoio do Executivo, que recebe e analisa as indicações feitas pelos alunos, muitas delas se transformam em ações. Os jovens com idades de 11 a 15 anos se reúnem duas vezes por mês, em períodos alternados para que não percam aulas.


14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855