E
special

Coudelaria

Para impor respeito

22 Fevereiro 2018 10:57:38

Cavalos criados pela Polícia Militar em Indaial são da raça Brasileiro de Hipismo

Janaina Possamai
Foto: André Hahnebach

INDAIAL - O policiamento montado certamente impressiona a quem o vê. O conjunto cavalo-policial é capaz de surtir um grande efeito psicológico que impõe respeito e é justamente este um dos principais objetivos. No entanto, encontrar um cavalo que se adeque com facilidade a este trabalho é algo bastante complexo. "Primeiramente precisa ser um cavalo imponente, para causar o que chamamos de efeito psicológico. Ele também precisa ser dócil, inteligente e muito corajoso", explica o chefe da Seção Técnica do Regimento da Polícia Militar Montada, capitão Fernando Jahn Bessa.

A raça que tem apresentado uma boa resposta à procura destas características é a Brasileira de Hipismo (BH). "Estamos trabalhando com a BH, que apesar de ter surgido com uma conotação esportiva, corresponde às qualidades que buscamos nestes animais".

Por que criar?

Além de permitir a seleção de animais de um padrão genético, morfológico e comportamental mais adequado ao policiamento, Bessa explica que a criação tem mostrado diversas qualidades em relação à compra. "Geralmente os cavalos são criados para três fins: trabalho, lazer ou esporte. Então tínhamos que buscar dentro dessas três gamas cavalos que pudessem se adequar ao policiamento". Outro quesito apontado é com relação ao custo, com a realização da Copa do Mundo de 2014 as cidades-sede tiveram, por exigência da Fifa, que criar ou encorpar o policiamento montado. Com isso, houve uma inflação no preço dos animais, que passou de R$ 5 mil para R$ 15 mil, em média.

Treinamento

Capitão Bessa explica que os cavalos da Polícia Militar (PM) entram em treinamento aos três anos de idade, quando já estão com madurês fisiológica, estrutura óssea e musculatura formadas. No entanto, desde que nascem eles já vão sendo selecionados e condicionado à rotina que terá depois no quartel. "Ele já vai sendo cabrestado, lavado, escovado, enfim, já vai se habituando. Após os três anos passa então a ter contato com o peso, a perna, a voz do cavaleiro, enfim, vai sendo domado até estar pronto para entrar para o serviço". Um cavalo, dependendo de sua saúde, pode permanecer em serviço por cerca de 20 anos.

Até o momento, Indaial conta com a coudelaria, ou seja, o criatório. O trabalho de doma ainda é realizado em São José. Há a possibilidade de que futuramente este trabalho seja desenvolvido em Indaial, mas ainda não está definido.

Métodos

A coudelaria da PM em Indaial conta com uma parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Inclusive, o terreno onde está implantada pertence à União e foi doado à Universidade. Lá, anteriormente, já esteve em funcionamento um laboratório de melhoramento genético de bovinos. No futuro, a ideia é que a UFSC instale um laboratório para melhoramento de equinos, o que permitiria o desenvolvimento da inseminação artificial. Porém este é um processo que depende de muitos recursos e deve demorar.

Portanto, o método de reprodução utilizado neste primeiro momento será a monta natural. A PM possui um garanhão da raça BH, doado pelo exército, que deve ser trazido a Indaial nos períodos de monta. Assim, a pretensão é a de criar dez potros por ano. "Com este número conseguiremos, aos poucos, renovar o efetivo de cavalos sem inflacionar o número de animais", explica.

Estrutura

A área em que a coudelaria está implantada possui 250 mil metros quadrados e ainda está sendo adaptada pelo efetivo que trabalha no local. "Será preciso realizar muitas melhorias, como piquetear novas áreas. Além disso, queremos melhorar a estrutura que abriga os policiais, que não é a adequada. O trabalho está sendo realizado aos poucos", explica capitão Bessa.

Indaial

Desde 2016 a Polícia Militar de Santa Catarina possuía um projeto para criar cavalos em uma escala que pudesse atender a todo o estado. Indaial correspondeu ao que estava sendo procurado, com uma grande área de pastagem e a parceria com a UFSC, que dispõe de suporte técnico. "Isso permite que criemos cavalos de forma a reduzir custos".

Capitão Bessa reitera que nesta fase do projeto não há nenhuma indicação de implantar o policiamento montado em Indaial. Pode acontecer no futuro, mas dependerá de uma série de fatores. Atualmente, há seis instalações de Polícia Montada no estado: Esquadrão em Joinville e Lages, Pelotão em Chapecó e Criciúma, Grupo em Caçador, e o Regimento, instalado em São José. O efetivo que trabalha no local conta com quatro policiais fixos em escala de 24 horas, e outros dois que trabalham em expediente, responsáveis pela administração e controle da área.


Imagens


14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855