N
otícias

Recursos

Sem Fundam, Indaial busca alternativas para terceira ponte

12 Abril 2018 16:06:00

BNDES anuncia não possuir os recursos necessários para atender ao Fundo de Apoio aos Municípios

Janaina Possamai
Foto: André Giovanella

INDAIAL - Os municípios catarinenses precisarão buscar alternativas para tirar os projetos de infraestrutura do papel. Isso porque o governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira (MDB), confirmou que as prefeituras ficarão sem os recursos na ordem de R$ 700 milhões já assinalados pelo Governo Federal.

De acordo com Moreira, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou que não possui os recursos suficientes para atender um programa nos moldes do Fundam 2.

Para Indaial a notícia implica na não finalização da terceira ponte, de responsabilidade do Estado. A demanda vem sendo insistentemente cobrada ao governo catarinense tanto pela população quanto pela própria administração municipal.

Em agosto do ano passado a Secretaria de Estado de Infraestrutura liberou R$ 2,3 milhão para a execução de parte dos trabalhos. Atualmente a passagem está aberta para os carros, mas longe de ser concluída. Faltam ainda a execução das alças de acesso pelo lado da Avenida Brasil e a pavimentação da rua Presidente Nereu, com custo de R$ 4,5 milhões.

A pretensão da Prefeitura era destinar o Fundam 2 para arcar com este custo e entregar a ponte, mas sem o recurso, será preciso voltar às reivindicações. "Vamos procurar novamente o Estado para cobrar a conclusão dos acessos da terceira ponte. Este é um compromisso do Governo Estadual", diz o chefe de Gabinete Manoel Boaventura.

Fudam

Em 2013, foram liberados por meio do Fundam R$ 606 milhões para investimentos em obras e equipamentos sem serem exigidas contrapartidas. O programa se tornou uma das bandeiras do governo Raimundo Colombo (PSD), que no final do ano passado chegou a garantir a segunda edição do fundo, mas o anúncio não se concretizou.

Terceira ponte

A construção da ponte, que liga os bairros Warnow ao Rio Morto, iniciou em julho de 2014. A parte da estrutura foi concluída no final de 2016, mas faltou recursos para a construção dos acessos pavimentados e das alças de ligação ao anel viário do município. A obra com os acessos no piso primário (macadame e pó de brita) teve um investimento do Governo do Estado, na ordem aproximada de R$ 17 milhões.


14319673464250.png
Jornal O Indaialense
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855